Título da matéria "Cinco horas de pé para provar vinhos instigantes na feira Naturebas; confira indicações" publicada em 10/08/2018 na Folha de São Paulo por Luiz Horta. A matéria completa você pode conferir aqui: http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2018/08/1978411-cinco-horas-de-pe-para-provar-vinhos-instigantes-na-feira-naturebas-confira-indicacoes.shtml

  

"Feiras de vinho podem ser grandes ou aborrecidas, algumas são didáticas e outras comerciais. Para mim, quase sempre são um exercício de exaustão que termina com relaxantes musculares e um antiácido.

Escolha o adjetivo, mas raramente usará emocionante. Pois a Naturebas 2018foi comovente, seja pela quantidade de gente com boa intenção no ato de fazer vinho, seja pela confraternização.

Já ensaiei escrever um texto chamado "Do que falo quando falo de vinhos" e é disso: encontro de gente que está feliz em beber bons vinhos, nem todos maravilhosos, caros ou grandes. Mas todos produzidos para agradar, coisa cada dia mais rara, em que se vê tanto vinho conceitual, nascido mais no marketing, vinho sem surpresa, vinho de escritório.

E a feira é muito organizada, sem o empurra-empurra que me afastou desses eventos. Naturebas é uma palavra no dicionário que era levemente pejorativa, algo como hiponga, natu-vegê-macrô.

Foi bem escolhida por Lis Cereja para abranger todo tipo de vinho diferente do descrito acima, pois engloba os feitos de forma mais respeitosa com o solo, com as uvas e voltados ao prazer.

Não quer dizer só o artesanal do fundo do quintal nem só o amador. Há vinicultores tradicionais que se encaixam no termo e outros de garrafas contadas em poucos dígitos.

Em resumo: tem orgânicos (que não usam produtos químicos inorgânicos); biodinâmicos (seguidores dos preceitos antroposóficos de Rudolf Steiner, como uso de compostos dinamizados e calendário lunar); e os naturais (com mínima intervenção entre uva e líquido na garrafa, evitando ou abolindo o dióxido de enxofre, o polêmico conservante SO²).

Vou me concentrar no que provei e recomendo. Fiquei cinco horas de pé, tinha planejado ficar duas, degustei com muita atenção, consegui conversar com os produtores.

Preciso dizer algo deselegante: não bebo quando trabalho. Cuspo todos os vinhos, ou não chegaria a experimentar o que quero. É o preço desta estranha ocupação. Conto isso para dizer que mantive minha perfeita capacidade de avaliação e não vou elogiar um vinho que vai decepcionar por eu estar trelelé.

Não tomei notas. Preferi tirar foto e, em casa, rememorar para chegar às indicações. É pouco, mas outros virão na coluna semanal.

CONFIRA OS FAVORITOS
12 sugestões de vinhos e como comprá-los

Franco Chileno de Louis-Antoine Luyt

Enoteca Saint VinSaintsaintvinsaint.com.br

Domaine de Majas branco

Gavinho gavinho.com.br

Unlitro Costa Toscana

Wines4u. wines4u.com.br

Lunações, Vinha Unna

Jardim dos Vinhos Vivos. tel. 99133-4000

X-Bulles de Vincent Caillé

Delacroixdelacroixvinhos.com.br

Notro Blanco de Roberto Henriquez

LaVinherialavinheria.com

Huaso de Sauzal Cariñena

LaVinherialavinheria.com

Sous la Terre de Viña Tipaume

Santiago Vinhos. santiagovinhos.com.br

Clau de Nell Cuvée Violette

Juss-Millésimes.juss-millesimes.com.br

Ageno La Stoppa

Piovinopiovino.com.br

GRUS de Viñedos de Alcohuaz

Decanter. decanter.com.br

Bourgogne Aligoté do Domaine de Clair Obscur

Cave Léman. [email protected]"